slide
Read More

Vamos fazer de conta que isso nunca aconteceu…

Resenha
slide
Read More

A Morte do Capitão América

– Resenha Literária
slide
Read More

Mês das Crianças no Escape Hotel

slide
Read More

Festival da Batata e do Milkshake

slide
Read More

Primer Pore Minimizing Smashbox

slide
Read More

Maionese #TodeCacho

Resenha

Carry on – Ascensão e queda de Simon Snow

carry on

Carry On ainda está na pré-venda, mas a gente já leu e preparou uma resenha contando um pouco mais sobre o livro, que tem tudo a ver com o dia de hoje.

Dia 28 de junho é o Dia Internacional do Orgulho Gay e recebemos o desafio de ler e resenhar Carry On da autora Rainbow Rowell especialmente para esta data. Essa resenha foi pensada de forma a evitar ao máximo soltar algum spoiler.

mermaid-trumpet celebrity dresses

Se você leu Fangirl, já está minimamente familiarizado com os personagens de Carry On. Simon e Baz fazem parte do universo fantástico de Simon Snow e são trabalhados na fanfic escrita pelas protagonistas. (tem resenha de Fangirl AQUI).

Rainbow Rowell escreve na nota da autora sobre como precisava contar a história dentro da história de Fangirl, e por isso, escreveu Carry On. 

“É disso que se trata Carry On. Minha visão de um personagem que eu não conseguia tirar da cabeça. É a minha visão desse tipo de personagem, e desse tipo de jornada. Foi o modo de conceder a Simon e Baz, apenas semi-imaginados em Fangirl, a história que eu sentia que devia a eles. “

Carry On é uma história de fantasia, e isso já me deixou cheia de expectativa. Fantasia e romance são meus gêneros literários favoritos, então já dá pra imaginar como eu estava morrendo de vontade de começar esse livro.

Não é fácil criar um universo todo dentro de 400 páginas, nesse caso, posso dizer que a autora se saiu bem. Porém, o fato de Rowell ter escolhido contar essa história como se já estivéssemos totalmente familiarizados com o universo me incomodou um pouco. A trama que poderia ser trabalhada de forma mais intensa, acaba ficando um pouco rasa, pois é como se tudo já estivesse acontecendo antes de você pegar o livro nas mãos.

Gostei de como a magia é trabalhada com as palavras, inclusive, o trabalho do tradutor ficou bem legal, usando expressões e frases divertidas como magias. Entre as mais legais, estão “Siga em frente, olhe para o lado!” e  “Pau que nasce torto nunca se endireita”

“Palavras são muito poderosas[…] E elas se tornam mais poderosas, quanto mais ditas e lidas e escritas em combinações especificas e consistentes.”

Simon Snow é o protagonista. Ele é o “escolhido”, o maior mago do mundo que poderá derrotar o que quer que esteja consumindo a magia. Porém, Simon não tem controle algum de seu poder. Ele constantemente perde o controle e acaba destruindo alguma coisa.

“O Maior Mago é nossa única esperança. Porém, nosso maior mago é fundamentalmente defeituoso. Trincado. Quebrado.”

A história é contada principalmente por quatro personagens. Penny, a melhor amiga brilhante de Simon que o ajuda a salvar o mundo. Agatha, sua ex-namorada, e Baz, seu colega de quarto que vive conspirando contra Simon.

“O Cadinho emparelhou vocês dois, Simon. Você deve cuidar dele.”

Simon é visivelmente obcecado por Baz. O personagem passa todo o tempo tentando descobrir as maquinações de Baz e esperando pelo dia em que os dois terão seu duelo final.

“[…]Eu realmente odeio conversar com Simon sobre Baz. É como conversar com o Chapeleiro Maluco sobre chá.”

Simon cresceu entre os “Normais” (você chamaria de trouxas?) e descobriu que era um bruxo aos 11 anos (até aí nada de novo). Ele foi contatado pelo Mago, diretor da Escola de Magia de Watford e até então, o bruxo mais poderoso do mundo. Simon se torna herdeiro do Mago e o auxilia na guerra contra o vilão. Simon é atacado todo o tempo, mas isso é tratado como algo normal e os ataques nem chegam a ser muito citados.

Baz é meu personagem preferido da história. Enquanto Simon é meio irritante, Baz tem aquele “quê” sensual e misterioso que a Rainbow sempre acaba colocando em algum personagem de seus livros. O personagem é irônico e perturbado. Assumidamente gay, Baz pertence à uma família importante e antiga que está em constante rivalidade com o Mago.

“O fato de que Simon Snow é o bruxo vivo mais poderoso. De que nada pode machucá-lo, nem mesmo eu. De que Simon Snow está vivo. E de que eu estou desesperadamente apaixonado por ele. “

Mas, se tem algo em que a autora sempre acerta, é no romance. Rainbow tem um talento gigante ao retratar a paixão e fazer a gente ficar com borboletas no estômago. Carry On não é diferente nesse aspecto, mesmo que as coisas acabem não sendo muito exploradas.

“Por um momento – nem sequer isso, um centésimo de segundo -, eu o imagino dizendo “A verdade é que me sinto terrivelmente atraído por você.” E então eu me imagino cuspindo na cara dele. E aí eu me imagino lambendo o rosto dele e o beijando. (Porque eu sou perturbado. Pode perguntar a qualquer um).”

Me incomodou um pouco a forma com que a trama tem sua resolução, porém o personagem termina o livro sem saber sua história e as motivações por trás de tudo. Parece que tudo é contado somente pra gente.

O livro é dividido em 4 livros, porém, tudo acontece muito rápido. O romance poderia ter sido mais trabalhado  e a resolução acontece meio fácil demais.  Minha consideração final é que o livro poderia ter sido melhor explorado, assim como todo o universo.

Os personagens são carismáticos e você acaba se afeiçoando à eles, mas rola aquela sensação de que falta muita coisa na história e tipo…já acabou?

SATIN PROM AND EVENING CELEBRITY DRESSES

Sinopse

Simon Snow é um bruxo que estuda numa escola de magia na Inglaterra. Profecias dizem que ele é o Escolhido. Você pode até estar pensando que já conhece uma história parecida. O que você não sabe é que Simon Snow é o pior escolhido que alguém já escolheu. Poderosíssimo, mas desastroso a ponto de não conseguir controlar sequer sua própria varinha, Simon está tendo um ano difícil na Escola de Magia de Watford. Seu mentor o evita, sua namorada termina com ele e uma entidade sinistra ronda por aí usando seu rosto. Para piorar, seu antagonista e colega de quarto, Baz, está desaparecido, provavelmente maquinando algum plano insano a fim de derrotá-lo. Carry on é uma história de fantasma, de amor e de mistério. Tem todos os beijos e diálogos que se pode esperar de uma história de Rainbow Rowell, mas com muito, muito mais montros.

Autora: Rainbow Rowell
Tradução: Marcia Men
Editora: Novo Século
Páginas: 480
Preço Médio: R$44,90

Onde Comprar

Não deixe de curtir nosso facebookinstagram e twitter pra não perder nada!

Comentários

comments

Designer metida a Valente. Apaixonada por livros, maquiagem, cabelos e cores. Namorada que aguenta as palhaçadas e músicas ruins do Paulo.