slide
Read More

Vamos fazer de conta que isso nunca aconteceu…

Resenha
slide
Read More

A Morte do Capitão América

– Resenha Literária
slide
Read More

Mês das Crianças no Escape Hotel

slide
Read More

Festival da Batata e do Milkshake

slide
Read More

Primer Pore Minimizing Smashbox

slide
Read More

Maionese #TodeCacho

Resenha

Clube da Luta – Resenha de Casal

clubedalutaslide

“É apenas depois de perder tudo que somos livres para fazer qualquer coisa”, essa é uma das diversas frases marcantes de Clube da luta, um clássico dos anos 90.

Clube da Luta

Quem nunca se sentiu insatisfeito com a vida que leva? O nosso personagem sem nome  “o narrador” interpretado genialmente por Edward Norton, um investigador de seguros está insatisfeito com sua vida medíocre, sofrendo de insônia. Ele busca uma forma inusitada de melhorar seu problema, frequentar diversos grupos de auto ajuda para se sentir melhor. É lá que ele encontra a problemática Marla (Helena Bonham Carte) e numa viagem conhece Tyler (Brad Pitt), um vendedor de sabonetes que é tudo o que o nosso Narrador não é, descolado e anarquista. Juntos fundam o Clube da luta, um local onde homens brigam – e apanham muito- para se sentirem vivos e extravasar toda a fúria que suas vidas rotineiras lhes causa. A partir daí sua vida começa a mudar.

Clube da Luta é baseado no livro de Chuck Palahniuk , que eu não li, mas dizem que é muito fiel a história original. Dirigido por David Fincher e com roteiro de Jim Uhls, o filme é muito mais que socos e sangue, é uma reflexão sobre a maneira como vivemos, como diria o narrador sem nome “Seu emprego não é o que você é, nem o quanto ganha ou quanto dinheiro tem no banco. Nem o carro que dirige, nem o que tem dentro da sua carteira. Você é uma merda ambulante do mundo.”

David Fincher consegue passar de maneira perfeita o estado emocional do protagonista, preso em sua vida medíocre. Fiquem atentos também as dicas que o diretor da ao longo do filme. É só isso que posso dizer para não dar nenhum spoiler: “Se eu pudesse acordar em um lugar e uma hora diferentes, poderia ser uma pessoa diferente?”, quem já viu vai entender, rs.

As frases marcantes de clube da luta são um despertar para o protagonista e para nós espectadores: “Fomos criados pela televisão acreditando que um dia seríamos astros do cinema, estrelas do rock ou milionários. Mas não seremos. E estamos muito, muito, furiosos” e “em empregos que odeia para comprar coisas que não precisa”

O final do filme pode ser uma surpresa e, para mim, é perfeito.  David fincher apresenta essa sátira ao homem moderno de forma brilhante, cenas impecáveis. Filmaço, assista para refletir sobre a vida!

Sinopse:

Jack (Edward Norton) é um executivo jovem, trabalha como investigador de seguros, mora confortavelmente, mas ele está ficando cada vez mais insatisfeito com sua vida medíocre. Para piorar ele está enfrentando uma terrível crise de insônia, até que encontra uma cura inusitada para o sua falta de sono ao frequentar grupos de auto-ajuda. Nesses encontros ele passa a conviver com pessoas problemáticas como a viciada Marla Singer (Helena Bonham Carter) e a conhecer estranhos como Tyler Durden (Brad Pitt). Misterioso e cheio de ideias, Tyler apresenta para Jack um grupo secreto que se encontra para extravasar suas angústias e tensões através de violentos combates corporais.

Trailer:

Curiosidades:

Apesar de ter se recusado a fumar no filme Cartas na Mesa(1999) (seu personagem apostava cigarros no poker, mas não fumava nenhum), Edward Norton concordou em interpretar um personagem fumante em Clube da Luta.

O autor Chuck Palahniuk afirmou que o filme é uma boa complementação ao seu livro.

Tyler Durdem, interpretado por Brad Pitt, iria dar uma receita caseira para a concepção de explosivos, mas por uma questão de segurança pública, os cineastas decidiram usar uma receita fictícia.

Brad Pitt e Edward Norton estão realmente álcoolizados na cena em que seus personagens aparecem bêbados rebatendo bolas de golfe.

Há muita controvérsia à respeito do nome do narrador (Edward Norton). Muitos acreditam que ele se chama Jackpor causa da frase “I am Jack’s…”, mas outros argumentam que “Jack” é apenas um apelido que ele escolheu usar após ler o nome em algum lugar. Curiosamente, na época do lançamento, um catálogo promocional foi entregue para a imprensa em que o personagem de Norton era chamado de Jack. Além disso, no roteiro original, Jim Uhls se refere a ele como Jack. Por outro lado, nas legendas originais do filme ele é chamado de Rupert.

Até Segunda com mais um post sobre cinema e não deixe de curtir nosso facebookinstagram e twitter pra não perder nada!

Fonte: Cineplayers , Adoro Cinema e Cinepop

Comentários

comments

Videomaker, Técnico em informática, ex-Sacripanta, Vj da ex-mtv por 15 minutos e o mais importante, namorado da Vanessa, a parte do casal que presta nesse blog!