slide
Read More

Vamos fazer de conta que isso nunca aconteceu…

Resenha
slide
Read More

A Morte do Capitão América

– Resenha Literária
slide
Read More

Mês das Crianças no Escape Hotel

slide
Read More

Festival da Batata e do Milkshake

slide
Read More

Primer Pore Minimizing Smashbox

slide
Read More

Maionese #TodeCacho

Resenha

Grease – Nos Tempos da Brilhantina

greaseslide

Fizemos a resenha do Clássico Grease, até hoje a maior bilheteria de um musical!

Grease

Até então eu nunca tinha assistido Grease – e a Vanessa também não – , certamente pelo meu preconceito por musicais. Claro que eu já conhecia algumas cenas e canções, afinal estamos falando do musical mais aclamado de todos os tempos.

Baseado no musical da Broadway criado por Warren Casey e Jim Jacobs, Grease – Nos Tempos da Brilhantina , lançado em 1978, remonta os anos 50. Mostra a história – bem bobinha – de amor entre Danny (John Travolta) e Sandy (Olivia Newton-John) e toda a riqueza cultural  e consumismo da época.

Os rapazes estavam ali durões, os cabelos com brilhantina, casacos, carros como forma de mostrar poder e as meninas sonhadoras e românticas. Os estereótipos bem fortes em cada grupo que ainda não havia experimentado a liberdade sexual e enfrentavam os costumes e preconceitos da época.

Sandy é uma boa moça, de família rica, não bebe, não fuma e não fala palavrão, por isso é zombada por Rizzo, que se destaca por estar a frente do seu tempo, se entrega sem pudores e por isso é mal vista. Do outro lado temos Danny, um verdadeiro Greaser, rebelde e sempre mantendo a pose de durão com seu jeito de andar “style muleke zica.”

É impossível não elogiar o John Travolta, está brilhante – na mesma praça…- ! Tudo bem que no começo eu e a Vanessa achamos que ele estava um pouco empolgado demais e eu numa primeira análise – ainda cheia de preconceito – cheguei a dizer que Grease era o pai do High School Musical. Fui injusto, o filme já havia me ganhado logo de inicio com uma boa animação que remetia ao jeito infantilóide dos personagens em busca de suas independências.

Olívia Newton-John também está sensacional assim como todo o elenco, mto bem dirigido. O diretor Randal Klaiser (A Lagoa Azul, Querida! Estiquei o Bebê) consegue transmitir de forma sensacional essa atmosfera dos anos 50. E olha que, com os atores todos “velhos” fazendo adolescentes, não era tarefa fácil, rs.

Me empolguei nas canções Summer Nigths e You’re the one that I want , são clássicas e seria impossível ficar parado.

Se não viu, veja com a namorada e prepare a sala para cantar e dançar e se já viu, veja de novo, rs.

Sinopse

Na Califórnia na década de 50, Danny (John Travolta) e Sandy (Olivia Newton-John), um casal de estudantes, trocam juras de amor mas se separam, pois ela voltará para a Austrália. Entretanto, os planos mudam e Sandy por acaso se matricula na escola de Danny. Para fazer gênero ele infantilmente lhe dá uma esnobada, mas os dois continuam apaixonados, apesar do relacionamento ter ficado em crise. Esta trama serve como pano de fundo para retratar o comportamento dos jovens da época.

Trailer

Curiosidades

Por conta de um zíper quebrado, Olivia Newton-Johnprecisou que as calças fossem costuradas no seu corpo para a sequência final.

Com 1,87m, Jeff Conaway precisava andar ligeiramente curvado para parecer bem mais baixo que John Travolta, que tem 1,88m.

Situado em um colegial, grande parte do elenco principal já havia superado a adolescência há muito tempo. Quando as filmagens começaram, em 1977, John Travolta tinha 23 anos; Olivia Newton-John, 28 anos; Stockard Channing, 33 anos; Jeff Conaway, 26 anos; Barry Pearl tinha 27; Michael Tucci, 31 anos; Kelly Ward tinha 20; Didi Conn, 25 anos; Jamie Donnelly tinha 30; e Annette Charles tinha 29. Com 19 anos, Dinah Manoff, Lorenzo Lamas e Eddie Deezen eram os mais jovens do elenco.

Muitos números musicais da peça original não foram usados. Porém, eles aparecem entre as faixas da jukebox ou são tocadas pela banda do baile da escola. Entre essas faixas estão “Freddy, My Love”, “Those Magic Changes” e “It’s Raining on Prom Night”.

Carrie Fisher teria sido considerada para o papel de Rizzo.

A cena em que Rizzo (Stockard Channing) cita Elvis em “Look at Me, I’m Sandra Dee” foi filmada no dia da morte do Rei do Rock, em 16 de agosto de 1977.

A produção tinha um acordo de product placement com a Coca-Cola, mas o negócio foi cancelado. Assim, todos os produtos da marca foram retirados de cena ou borrados (na imagem você vê a cena original, sem o borrão).

“Greased Lightning” deveria ser cantada pelo personagem de Jeff Conaway, Kenickie, como na versão dos palcos. Porém, John Travolta usou sua influência para que seu personagem, Danny Zuco, cantasse na sequência.

Jeff Conaway afirmou em um episódio do reality show Celebrity Rehab with Dr. Drew que ele foi empurrado por um dos seus colegas de elenco durante a gravação de “Greased Lightning”. A lesão provocada pelo acidente é que teria levado o ator ao vício em remédios para dor que causou sua morte em 2011.

“Hopelessly Devoted To You” foi escrita e gravada após o término das filmagens. Os produtores queriam uma balada com Olivia Newton-John e a cantora foi convocada a voltar ao set para incluir a música no filme. A canção acabou recebendo uma indicação ao Oscar, a única do filme.

Presentinho para os fãs, um encontro de Olivia e John Travolta em 2010 para relembrar Grease.

Fonte: Omelete, Adoro Cinema, Conversas de Cinema e Cine Pipoca Cult.

Comentários

comments

Videomaker, Técnico em informática, ex-Sacripanta, Vj da ex-mtv por 15 minutos e o mais importante, namorado da Vanessa, a parte do casal que presta nesse blog!